Treinamento de alta intensidade e taxa metabólica basal (TMB)

O treinamento é frequentemente usado como recurso para programas de promoção, senso seus efeitos benéficos são amplamente conhecidos. De fato, vários estudos mostram uma substancial redução de peso imposta pela atividade física praticada continuamente, contudo, a grande maioria dos estudos, baseiam-se em pesquisas que avaliaram a eficiência baseada no volume de treinamento imposto ( baixa intensidade e longa duração). A intensidade do exercício é uma outra estratégia que influencia o balanço energético.

O senso comum aponta que a prescrição de exercícios mais adequada para a redução do peso corporal são aqueles de baixa intensidade. Tal fato baseia-se em estudos que apontam uma maior proporção de lipídios oxidados nesse tipo de exercício em comparação exercícios de esforço elevado. Se considerarmos apenas as adaptações fisiológicas que ocorrem durante o exercício, tal hipótese justifica-se. Contudo, se as adaptações pós exercício forem levadas em consideração, torna-se discutível se de fato exercícios realizados em baixa intensidade representarem a melhor estratégia na promoção de um balanço energético negativo.

Estudos realizados por Lenon e colaboradores a mais de duas décadas (1985) já demonstravam que a taxa metabólica basal (TMB) induzida pelo treinamento esta diretamente ligada a intensidade do treinamento realizado, sugerindo que a intensidade elevada no exercício é mais eficiente em criar um balanço negativo do que o exercício de baixa intensidade. Quinzenalmente atualizaremos este site com informações sobre os mais diversos pontos de vista através de comunicações curtas formuladas por profissionais referencia na área de metabolismo, fisiologia entre outros.

9 Comentário(s)! Comente mais!

  1. eduardo y. maki

    Parabéns Luiz pelo belíssimo trabalho!!É um privilégio tê-lo como professor.

    Postado em 06/04/2010
  2. Thania Rocha

    Muito estimulante este artigo!! pois a dúvida nos leva a pesquisar!! Obrigada!! prof. Luiz.

    Postado em 16/04/2010
  3. Antônio José de Souz

    Um tema muito bem abordado, mas se levarmos em conta que esses artigos são feitos com treinamentos para atletas, e, se analisarmos a intensidade dos treinos feitos nas academias, será que eles atingem uma intensidade suficiente para promover esse gasto energético pós treino assim como acontece com os atletas? É uma boa discussão.

    Postado em 07/07/2010
  4. Carnevali Júnior

    Olá Antonio, obrigado pelo comentário. Com relação a ele acredito que a intensidade de treinamento depende de cada individuo, uma vez que para indivíduos em academia, devido ao nível de treinamento ser menor atingem o platô ( stress máximo) com maior facilidade, a maior dificuldade é a capacidade de consciência corporal para executar corretamente, causando o stress devido e consequentemente a adaptação celular desejada. Mas de fato é uma boa discussão. Em breve estaremos lançando um livro sobre o assunto. Obrigado pelo acesso.

    Postado em 08/07/2010
  5. miguel peccin

    Sou ciclista tenho 33 anos.
    Pedalei muito na minha adolecencia até aos 17 anos fiquei parado por mais 17 anos retornando a treinar com 30 anos.
    Presiso de uma orientação especializada para voltar ao topo de minha perfornance.
    grato \miguel

    Postado em 12/07/2010
  6. Carnevali Júnior

    Ola Miguel como vai?? vc procura por um indicação de uma consultoria especializada???

    caso seja de seu interesse posso indicar a vc alguns profissionais.. Muito em breve estamos abrindo uma empresa de consultoria. ai quem sabe podemos ajuda-lo. Obrigado pelo acesso e mantenha contato.

    Postado em 12/07/2010
  7. leonardo

    Parabéns pelo artigo!

    Postado em 15/07/2010
  8. Bom dia professor!
    Realizei várias pesquisas e não consigo encontrar uma que me agrade referente a TMB (taxa metabólica basal). Existem várias fórmulas que calculam massa corpora, idade, estatura e sexo. Mas, e o nível de atividade física? onde encaixo na equação? Gostaria de uma ajuda nesta falta de informação.
    Aguardo contato.
    Abraço!

    Postado em 01/06/2012
  9. Lewis Maté Heineck

    Professor, parabéns pela matéria. Estou com duvida recorrente ao calculo da TMB. As nutricionistas afirmam que a utilização da formula de Harris e Benedict é para pessoas doentes ou lesionadas, e que superestima a TMB de pessoas saudáveis. isso procede?

    Como o senhor montaria uma avaliação de GET diário?

    a- TMB
    b- fator de atividade diária
    c - Gasto em exercício por METS?

    Seria correto?

    Abraço

    Postado em 05/02/2014

Deixe seu Comentário!

You must be logged in to post a comment.